O QUE É O EGO,ID E SUPEREGO PARA A PSICANÁLISE FREUDIANA?

O ego é um dos conceitos fundamentais na teoria psicanalítica desenvolvida por Sigmund Freud.

O ego é um dos conceitos fundamentais na teoria psicanalítica desenvolvida por Sigmund Freud. Ele faz parte da estrutura da mente proposta por Freud, que também inclui o id e o superego. Essas três instâncias representam diferentes aspectos da psique humana e operam em conjunto para regular o comportamento e lidar com as demandas da realidade.

Por que fazer terapia Online?

  1. O Id: É a parte inconsciente da mente e está relacionado aos instintos e desejos mais primitivos. Age de acordo com o princípio do prazer, buscando gratificação imediata sem considerar as consequências sociais ou morais.
  2. O Superego: Representa a moralidade internalizada, ou seja, as normas e valores que aprendemos ao longo da vida. Age de acordo com o princípio da moralidade, buscando comportamentos socialmente aceitos e reprimindo impulsos do id que são considerados inaceitáveis.
    12 RAZÕES PARA VOCÊ ORGANIZAR SUA VIDA,AQUI
  3. O Ego: Age como um mediador entre o id e o superego. É a parte consciente da mente e está envolvido na tomada de decisões racionais, na negociação entre os impulsos do id e as exigências morais do superego, bem como na adaptação ao mundo exterior.

O ego busca encontrar um equilíbrio entre as demandas conflitantes do id e do superego, lidando com a realidade de forma pragmática. Desenvolve estratégias de enfrentamento, como a repressão, a negação e a sublimação, para lidar com os conflitos internos e as pressões externas.
ABRAÇANDO SUAS MUDANÇAS,AQUI

Além disso, Freud propôs que o desenvolvimento do ego ocorre ao longo de diferentes estágios da vida, começando na infância. O modo como o ego se desenvolve e lida com os desafios determina, em parte, a personalidade do indivíduo na idade adulta.

COMO SALVAR MEU CASAMENTO,AQUI

Em resumo, o ego na psicanálise desempenha um papel crucial na mediação entre os impulsos do id e as exigências morais do superego, buscando equilibrar as demandas internas e externas para lidar eficazmente com a realidade.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *