Empatia é amplamente conceituada como a habilidade de compreender e experimentar os sentimentos de outra pessoa, assim como adotar o ponto de vista dela. A palavra ’empatia’ tem sua origem na expressão alemã Einfuhlung, que se traduz como “projetar-se em”. Isso ajuda a esclarecer por que a empatia é frequentemente descrita como a capacidade de se colocar no lugar do outro.

Descrever Empatia nas Ciências Psicológicas
A tarefa de definir a empatia de forma precisa e abrangente para fins de estudo em psicologia é uma empreitada desafiadora. Por exemplo, a empatia pode ser vista como a capacidade de compreender, sentir, compartilhar ou interpretar os sentimentos de outra pessoa – cada um desses verbos conferindo nuances diferentes à compreensão da empatia. Isso, por sua vez, leva a variações nos mecanismos psicológicos subjacentes e nas áreas do cérebro responsáveis por esse fenômeno.

Empatia Global ou “Contágio Emocional”: nessa fase, a emoção de uma pessoa desencadeia uma reação emocional semelhante em outra pessoa (ou observador).

Atenção aos Sentimentos dos Outros: Aqui, o observador está ciente dos sentimentos de outra pessoa, mas não os experimenta diretamente.

Ações Pró-Sociais: O observador não apenas reconhece os sentimentos da outra pessoa, mas também age de maneira a confortá-la ou ajudá-la de alguma forma.
Você pode gostar:FALANDO SOBRE O MEDO

Empatia pela Condição de Vida da Outra Pessoa: Nesta etapa mais avançada, o observador sente empatia não apenas pelos sentimentos imediatos da outra pessoa, mas também pela situação de vida mais ampla que ela enfrenta.

A compreensão da empatia nas ciências psicológicas muitas vezes envolve uma visão multifacetada desse fenômeno, compreendendo diversos componentes interligados. Um modelo comum inclui quatro passos essenciais:

Perceber/Observar o Estado Emocional de Alguém: Este é o primeiro passo, onde alguém identifica e reconhece o estado emocional de outra pessoa.

Interpretar Corretamente Esse Estado Emocional: Neste estágio, ocorre a análise precisa do estado emocional percebido, a fim de compreendê-lo corretamente.

‘Sentir’ a Mesma Emoção: A empatia envolve não apenas entender, mas também compartilhar emocionalmente o estado emocional da outra pessoa, ou seja, sentir uma emoção similar.

Responder à Emoção: A resposta empática implica agir conforme a emoção percebida, demonstrando apoio, conforto ou compreensão.
Conheça esse importante ebook :ANSIEDADE & MATERNIDADE”

É importante notar que a empatia não pode ser considerada completa ou bem-sucedida se qualquer um desses quatro passos falhar.

Além disso, pesquisas em psicologia destacam que a empatia é um processo complexo que envolve múltiplas dimensões interconectadas:

Emocional: Refere-se à capacidade de compartilhar os sentimentos de outra pessoa, ou seja, experimentar uma emoção semelhante à dela.

Motivacional: Envolve a motivação ou a necessidade de responder aos sentimentos da outra pessoa, muitas vezes manifestando-se como um desejo de ajudar ou aliviar o sofrimento dela.

Cognitivo: Refere-se à capacidade de adotar o ponto de vista de outra pessoa, compreendendo seus pensamentos, sentimentos e perspectivas.

A interação desses três processos contribui para a experiência geral de empatia, tornando-a uma área complexa e fascinante de estudo na psicologia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *